Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

23/01/2009 - Querem acabar com o Radio ( Por Marcello Lima)

Marcello Lima - Jornalista 37 anos, formado na turma de1996 das FIAM, trabalha desde 1994 na Radio Jovem Pan.

Setorista do Palmeiras de 1997 ate’ abril de 2002.

Setorista do Sao Paulo fc de Abril de 2002 ate’ hoje



Amigo Torcedor...


O veículo de comunicação mais antigo do planeta está perdendo o respeito dos "mais" jovens, no mundo do futebol.
Diz um velho ditado que: Manda quem pode... Obedece quem tem juízo.

Pois bem...

Com o início do campeonato paulista de futebol e as "novas" determinações da Federação Paulista com ordem imposta pela Rede Globo de Televisão, esvaziaram o rádio.

Dizem que o objetivo ainda não foi atingido que é de acabar de vez com o veículo mais rápido, instantâneo e charmoso do mundo, em troca é claro de milhões de reais das tvs.

Acho que chegou a hora dos profissionais da "latinha" se unirem, antes que seja tarde demais.

Que a televisão paga caro e merece ter regalias isso é indiscutível, mas tentar expurgar colegas de profissão em detrimento de egos abalados é algo totalmente inadmissível.

Estou me referindo á alguns profissionais te tv que se julgam verdadeiros deuses da comunicação, só porque mostram seus rostos quase que diariamente para milhares de pessoas, e isso sobe a cabeça, achando assim que os outros são lixos na mídia esportiva, tratando-os com desrespeito.

Por falar em desrespeito, a Federação Paulista é campeã nesse quesito, onde promete coisas impossíveis de acontecer, como por exemplo a tal da zona mista.
O Morumbi que é tido por todos como um estádio modêlo para uma copa do mundo é uma verdadeira porcaria em termos de acomodação para a imprensa, onde o entra e sai de penetras é uma verdadeira festa, fora o número incalculável de filhos de diretores, carteiradas, e por ai vai.

Aí eu pergunto: Cadê a Federação Paulista que após as partidas nunca se manifesta e quando tenta explicar alguma coisa, diz não poder interferir na particularidade do clube.
Somos jogados numa verdadeira fogueira e nos viramos como podemos.

E o Pacambú então...

Tem gente que nunca sequer passou em frente uma emissora de rádio e tv e tem acesso livre prá lá e prá cá sem ser importunado. Mas nós que precisamos trabalhar, somos impedidos e cadê a Federação que faz que não vê nada ?

Assim é no Canindé, Palestra Itália, no Santa Cruz e estado de São Paulo todo.

Dei essa volta toda para dizer que os profissionais do rádio que ficam sempre quietinhos atrás das metas, terão de pagar um preço alto por coisas que a mesquinha televisão com seus engomadinhos reporteres quase nunca são ou seja : velozes e furiosos com sede de informação, chegando como sempre á frente com exclusividade.

Aí vem esse golpe baixo, fazendo com que o rádio perca sua velocidade.

Disse uma vez e torno a repetir que a classe jornalística esportiva de rádio é muito desunida e divorciada. Caso contrário lutaría por seus direitos que são muitos.

Não vai demorar muito e teremos que pagar para levar ao ouvinte as emoções de uma partida de futebol mais do que já é gasto normalmente a cada jogo.

O desemprego baterá em várias portas e demissões acontecerão em massa.

Aí amigo será tarde demais para chorar o leite derramado.

Estamos pedindo o respeito que nos é cabido e direito de transmissão tranquila, porque o dia que o produto chamado futebol não der índices de audiência exigido pelas emissoras de tv e elas passarem a ter sérios prejuízos, recorrerão ao rádio não só os clubes, como as entidades que hoje estão nos chutando os traseiros já que faturam verdadeiras fortunas e não estão nem aí conosco.


Vamos acordar gente... vamos acordar antes que nos aniquilem.

Ainda somos fortes e temos credibilidade..... Pois somos do Rádio


Um forte abraço a até a próxima
--
Marcello Lima


Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2022 - Desenvolvido pela Williarts Internet