Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

13/03/2013 - Justiça Boliviana Nega relaxamento de prisão a Corinthianos

A Justiça boliviana negou nesta terça-feira o pedido de relaxamento da prisão preventiva dos 12 torcedores do Corinthians acusados de envolvimento na morte do garoto Kevin Beltrán, atingido por um sinalizador na partida de sua equipe, o San Jose, contra o time brasileiro. Após longa audiência, a juíza Virginia Colque determinou que eles continuem detidos.


O advogado Michel Blancourt e um diplomata brasileiro participaram da sessão. Além de reclamar do tratamento recebido pelos alvinegros, a defesa alugou uma casa em Cochabamba para que eles pudessem ter residência no país e responder em liberdade.


Com os corintianos mantidos na penitenciária de San Pedro, o imóvel não será utilizado. A expectativa é que a investigação leve ao menos meio ano, motivo pelo qual a defesa deverá tentar que a Justiça reconsidere a acusação. Caso contrário, os torcedores seguirão presos até o julgamento.


A juíza responsável pelo caso não levou em conta a confissão de um menor de 17 anos associado à Gaviões da Fiel, que se apresentou à polícia em Guarulhos. O depoimento não consta no inquérito e nem foi considerado na tentativa de apelação apreciada nesta terça.


Antes da negativa de liberdade dos corintianos, torcedores voltaram a protestar em frente ao Consulado da Bolívia. "Não é mole, não, alô, Bolívia, libera os irmão (sic)", cantaram os manifestantes, que também gritaram o nome dos 12 presos, sem sensibilizar as autoridades.


< Cerca de 80 torcedores do Corinthians realizam um protesto na altura do número 1439 da avenida Paulista, em frente ao Consulado Geral da Bolívia, nesta terça-feira Foto: J. Duran Machfee / Futura Press Os manifestantes pedem a libertação dos 12 corintianos que estão presos na Bolívia desde o dia 20 de fevereiro, sob acusação de envolvimento com a morte do jovem Kevin Beltrán, de 14 anos, ocorrida na partida contra o San José pelam, em Oruro, pela Taça Libertadores da América Foto: J. Duran Machfee / Futura Press De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a ação começou por volta das 11h30 e, às 13h45 eles ainda permaneciam no local Foto: J. Duran Machfee / Futura Press No horário, o grupo ocupava apenas a calçada, no sentido Paraíso, não atrapalhando o tráfego de veículos na região Foto: J. Duran Machfee / Futura Press De acordo com a Polícia Militar, a ação começou com cerca de 20 torcedores Foto: J. Duran Machfee / Futura Press Grupo ocupou a calçada em frente ao Consulado da Bolívia em São Paulo Foto: Bruno Martins / vc repórter Integrantes da Gaviões da Fiel, Camisa 12, Pavilhão Nove, Estopim, Coringão Chopp e Fiel Macabra participam do protesto Foto: Bruno Martins / vc repórter O movimento foi organizado por seis torcidas organizadas do Corinthians e divulgada nas redes sociais Foto: Bruno Martins / vc repórter "Não vamos nos calar e deixar cair no esquecimento, iremos novamente ao consulado para pedir a liberdade dos 12 inocentes ainda presos", dizia o panfleto de divulgação Foto: Bruno Martins / vc repórter O primeiro protesto no local aconteceu no dia 2 de março Foto: Bruno Martins / vc repórter > Com Paulo André de volta, Tite escala força máxima para "revanche" Corintianos voltam a protestar em consulado da Bolívia em SP Corinthians treina em São Paulo em dia de convocação de Zizao 1 10 < > > Foto: J. Duran Machfee / Futura Press


Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2022 - Desenvolvido pela Williarts Internet