Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

12/11/2007 - Com muita pancadaria ADPM e Camarões ficam no o x o, ADPM se classifica

ADPM e Camarões não saíram do zero a zero na manhã de domingo no campo do Frigorífico.
Embora a partida tenha sido muito disputada durante 85 minutos, todos irão se lembrar somente dos minutos finais, quando um show de pancadaria entre as duas equipes (sem a invasão de torcedores) deu fim ao espetáculo.
Apostando na qualidade técnica de Alex leite, artilheiro do certame, Sidney segurou a escalação até minutos antes do jogo. E fez muito bem, pois embora não tenha balançado as redes, Alex foi infernal no período em que esteve em campo.
Sidney, apesar de jogar pelo empate, também optou por escalar apenas dois zagueiros e preservou o meio de campo com quatro jogadores, sendo que Andrézão e Rafael Barbosa ficaram com a responsabilidade de marcar, o que fizeram muito bem durante todo o jogo, e Miro armava todos os lances de perigo, com Luis Fabiano chegando mais a frente até para finalizar.
Nas laterais nenhuma novidade, Eder de novo não rendeu todo seu potencial e Maurinho e Fabio Testa jogaram um tempo cada um, com os dois ficando abaixo do esperado.
Na frente, a ADPM foi perigosa com as caídas de Denis pelos lados e com Alex Leite revezando no trabalho de pivô e atacante finalizador.
Já o Camarões foi montado por João Galinha buscando ser ofensivo sem querer se expor.
Três zagueiros ficaram a frente do goleiro Eduardo, Taidinho pela direita, Bispo um pouco mais atrás e Bifão pelo lado esquerdo. Aliás, mesmo com tanta gente pra marcar, Eduardo praticou belíssimas defesas na primeira etapa. Dois laterais que deveriam descer de forma alternada, mas Fusão que estava na direita ficou mais fixo e Danilinho pela esquerda descia muito mais, André e Ge marcavam no meio, Pé de Ferro, com fôlego de gato, dava assistências na marcação e no ataque e Ackson que jogava como ponta de lança, avançando a cada vez que Lucas descia pelas pontas.
Com estas duas formações táticas, e um excesso de vontade de vencer, ADPM e Camarões criaram boas chances de gols.
No primeira grande oportunidade da ADPM, a bola foi alçada através de um escanteio, Mauro subiu mais do que todo mundo e Eduardo fez a defesa quando a bola ultrapassava a linha divisória.
A resposta do Camarões veio com Ge, pelo lado direito do ataque ele cortou pra dentro e observou a chegada de Pé de Ferro. A bola foi lançada, mas Pé de Ferro, praticamente sozinho, não alcançou.
Em bela jogada de Luis Fabiano a bola foi rolada para Rafael Barbosa, que da entrada da área chutou. Eduardo caiu e fez a defesa.
De novo a ADPM chegou em lance rápido. Miro bateu forte, Eduardo defendeu parcialmente e quando Alex Leite chegou pra marcar, Eduardo, de novo, se recuperou e fez excelente defesa.
O lance mais polemico do primeiro tempo foi novamente no ataque da ADPM, Eder desceu pela direita e cruzou, a bola tocou no braço do atacante Alex Leite, o arbitro nada assinalou e ele bateu forte, quase abrindo o marcador. Como o assistente invalidou o lance e o arbitro mandou seguir, o Camarões reclamou muito através de Bispo.
Na segunda etapa, os técnicos começaram a mexer nas equipes e alterar a formação tática.
Na ADPM, Rubinho entrou no lugar de Alex Leite e criou bela jogada pelo lado direito, mas bateu fraco e a bola se perdeu em linha de fundo.
Na reposição de bola, Bispo saiu jogando errado, perdeu para Rubinho que rolou para Tuquinha, que havia acabado de entrar.
Sem nenhum recurso, Bispo deu um perigoso carinho, o arbitro deu a vantagem, mas o ataque não aproveitou. Se o arbitro Julio Magosso tivesse assinalado a falta, Bispo que já tinha amarelo, provavelmente tomaria o segundo e seria expulso.
Precisando de ganhar, João Galinha fez em dez minutos todas as mudanças para o ataque. Rafael veio para o jogo, depois foi Cristian, depois Jairzinho e por ultimo Marquinhos.
Com tanta gente pra atacar e com a ADPM que já não tinha mais Miro pra armar, o Camarões cresceu no jogo, levou perigo nas bolas aéreas e também nas faltas frontais a meta de Fabio Willian.
Mas aos quarenta minutos da segunda etapa, eis que entra em cena a violência.
Bifão, por trás, deu um tapa em Tuquinha, que pensando ser Pé de Ferro o autor, revidou.
A partir daí só pode ser dito que a confusão se generalizou e todo mundo bateu e apanhou.
Sobraram socos, sopapos, pontapés, voadoras, chutes, xingamentos e pancadaria pra todo lado. Com a briga cessando apenas depois que todos cansaram de bater a de apanhar.
Depois de tudo serenado, o arbitro Julio Magosso expulsou cinco jogadores de cada lado.
Pelos lados da ADPM foram expulsos Fabio Willian, Tuquinha, Adriano, Rubinho e Paulo Junior.
No Camarões foram expulsos Bispo, Bifão, Pé de Ferro, Jairzinho e Serrinha.
Alegando falta de segurança, Julio Magosso encerrou a partida.
Na comemoração da ADPM, a violência também tomou conta das arquibancadas e novos registros de violência ocorreram no campo do Frigorífico.
Mulheres brigavam com mulheres, homens brigavam com homens, mulheres brigavam com homens e muita baixaria rolava. Tudo isso próximo a crianças e pessoas de idade.
Com a chegada do pessoal do "deixa disso" e com a policia militar dispersando o publico as brigas chegaram ao fim.



Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2022 - Desenvolvido pela Williarts Internet