Ou�a a Independente AM ao vivo!
 
 

 

24/04/2012 - Causos do Futebol: Antigamente "quebravam" mesmo


Quebrar a perna hoje, quase que s por acidente como aconteceu com Rogrio Ceni num simples treino do So Paulo.

O p prendeu na grama, veio a toro do tornozelo e a fratura.

Mas, olha, no faz muito tempo "quebrar a perna" era sinnimo de "fim de carreira" para o jogador profissional.

J houve poca em que existiam os "especialistas" em quebrar a perna do adversrio.

Me lembro de um tal de Mirim, que era um grande meio de campo do Bangu, mas ao mesmo tempo temido nas "divididas". Na ficha dele constam uma srie de pernas quebradas.

Zizinho, o grande Mestre Ziza, foi outro. Contam que Zizinho dava de bico no tornozelo do p de apoio do adversrio.

Didi, bicampeo do mundo em 58 e 62, tambm sabia como atingir e ouvir o estalo da tbia e do pernio quebrados.

Tomires, o Cangaceiro
Outro caso famoso de perna quebrada, foi o lance que praticamente deu o tricampeonato carioca ao Flamengo de 53-54-55. Em 55, o Amrica chegou a final com o Flamengo. No primeiro jogo da deciso, Amrica que tinha um timao, 4 a 1. No segundo jogo, o lateral-direito Tomires, que era conhecido pelo apelido de "Cangaceiro" quebrou a perna do meia Alarcon. Foi o bastante para o Flamengo que tambm tinha um timao com Evaristo, Dida, Zagalo, Dequinha, Jordan e Joel na ponta-direita, conquistar o ttulo.

Alguns anos depois, e tenho uma seqncia de fotos bem antigas no meu arquivo em que Almir, o Pernambuquinho, "oferece" a bola a Hlio um lateral esquerdo do Amrica avana e entra "por cima" da bola atingindo em cheio a canela do jogador do Amrica. Acho que o nome era Hlio mesmo. Ele nunca mais jogou bola.

Fefeu, um meio de campo do Flamengo, que tambm jogou no So Paulo, teve a perna quebrada e a carreira quase encerrada.

Procopio
Tanto falaram para o Pel se "proteger" dos adversrios e era verdade, alguns entravam para quebrar o Rei que ele foi formando uma vasta lista de vtimas. Todos tentaram pegar Pel e acabaram mal. Procpio um zagueiro de respeito na poca jogando pelo Cruzeiro, foi um que Pel quebrou jogando no Morumbi. Procpio custou a voltar. Outro foi em um "amistoso" da seleo contra a Alemanha no Maracan. Se no me falha a memria um zagueiro de nome Schultz, perseguiu Pel pelo campo todo. Tanto assim que numa bola que o Rei recebeu antes da linha do meio de campo percebeu que o alemo vinha numa ferocidade danada para cima dele. Adiantou a bola e quando Schultz entrou de carrinho para pegar bola e tudo que tinha pela frentea, Pel saiu fora e desceu a perna, pegando em cheio a do zagueiro. Schultz saiu do Maracan de ambulncia direto para o hospital Miguel Couto. No Morumbi em outro "amistoso" dessa vez contra a seleo chilena, Pel foi caado por um meio de campo do qual no me lembro o nome. At que irritado deu uma tremenda cabeada no coitado. Resultado: nariz quebrado, sangrando feito o diabo

Mas bom lembrar que Pel era muito perseguido. Jogava tanto, fazia tantos gols, que os adversrios tomavam a "iniciativa" de tentar tir-lo de campo de qualquer jeito. Com ele l, era quase que derrota na certa.

Evaldo
Mas as duas fraturas que mais me impressionaram foram as de Evaldo, que foi formado pelo Fluminense, e que depois jogou no Cruzeiro onde ao lado de Natal, Tosto, Dirceu Lopes e Hlton, formou um dos maiores ataques do futebol brasileiro em todos os tempos. Num choque totalmente casual o goleiro argentino Agustn Mrio Cejas, jogando no Santos, saiu nos ps do atacante do Cruzeiro. O joelho da perna direita goleiro pegou em cheio na canela do atacante.

Perna quebrada, Evaldo tentou depois de recuperado seguir carreira no Mxico, mas nunca mais foi o mesmo.

A outra que chocou o Pas inteiro por ter sido a primeira vez que se via escancarado o que podia provocar uma jogada mais brusca foi a de Mirandinha (foto), atacante do So Paulo, jogando contra o Amrica, em Rio Preto.

Um zagueiro do Amrica tentou bloquear um chute de Mirandinha na entrada da rea. A canela do atacante foi de encontro ao joelho da perna de apoio do zagueiro. Fratura exposta.

O autor da fotografia o grande e saudoso Domcio Pinheiro ento trabalhando no Jornal da Tarde. A foto lhe valeu um Prmio Esso e revelou para sempre que o futebol bem aproximado pelas lentes como hoje pela televiso, tinha cenas to chocantes quanto os mais horripilantes filmes de terror de Hollywood


Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2024 - Desenvolvido pela Williarts Internet