Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

30/09/2011 - Somente Barretos e Independente mantiveram o técnico desde o inicio

O Campeonato Paulista da Segunda Divisão chegou a quarta etapa com as seguintes equipes que disputarão quatro vagas à Série A3 de 2012: Barretos, Capivariano, Guaçuano, Independente, Olímpia, Portuguesa Santista, Primeira Camisa e Votuporanguense. Destas apenas duas apostaram em projetos de longo prazo e resolveram não trocar de comando, como o Barretos e Independente, que continuaram com Valter Ferreira e Parraga, respectivamente, desde a primeira rodada da competição.

No Guaçuano William Mendes iniciou, mas depois João Batista entrou em seu lugar; o Olímpia trocou uma vez, com Deto Pereira assumindo a vaga deixada por Rúbio Alencar; já a Santista optou por Evaristo Piza no lugar de Douglas Neves; no Primeira Camisa Índio saiu e Darcy Ribeiro ocupou a vaga e por fim no Votuporanguense Carlos Rossi foi demitido e Polozzi é o treinador.

Valter Ferreira já teve sucesso em divisões inferiores com o MirassolAlém de estar realizando uma campanha positiva até o momento, com 13 vitórias, oito empates e três derrotas na somatória das três fases, o Barretos apostou na experiência do técnico Valter Ferreira em obter o acesso. "Não tem sentido trocar de treinador só porque perdeu duas partidas consecutivas. Espero que isto que fazemos no Barretos seja uma tendência na Segunda Divisão", afirmou Pinho, diretor de futebol.

Palavra de Técnico
Com 30 anos de carreira, Valter Ferreira espera oportunidade de grandes

No lado de Limeira o desempenho foi quase idêntico ao do Barretos: 13 vitórias, oito empates e duas derrotas. A diretoria deve todo o sucesso ao comandante. "O Parraga montou e manteve o elenco, conduziu de uma forma impressionante durante a competição e tenho certeza que se ele não estivesse conosco, não chegaríamos à fase decisiva", elogiou Pedro Viana, supervisor de futebol do Independente.

Na contramão destes times, o Capivariano trocou de comando três vezes: começou com Evandro de Souza, que depois de uma pequena sequência de resultados negativos saiu e Ivo Secchi assumiu. Porém, Ivo durou apenas três jogos e por último Jenildo Cavalcanti assumiu o cargo e permanece até hoje ao lado de Evandro, que agora virou auxiliar técnico.

Interinamente, Parraga comandou o Palmeiras, antes de FelipãoOsvaldo Agostinho Riccomini, presidente do Capivariano comentou as mudanças que ocorreram, mas destacou a força do elenco nestes momentos. "Achávamos que naquela época era melhor trocar de treinador, mas o Ivo durou pouco e resolvemos apostar no Jenildo e na volta do Evandro", explicou.

Palavra de Técnico
Atacante da Ponte Preta na década de 70, Parraga segue vida de treinador

Sobre seguir o mesmo exemplo que o Bragantino faz com Marcelo Veiga que há quatro é o treinador, os dirigentes de Barretos e Independente acham difícil que isso ocorra, pela valorização do trabalho de Valter Ferreira e Parraga. "Seria maravilhoso que o Valter continuasse, mas acho complicado, ele vai receber vários convites após esta campanha", lamentou Pinho. "Acho que só mantê-lo o campeonato todo é um feito, quem sabe o Parraga fique futuramente, porém requer muito esforço", concluiu Viana.




Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2022 - Desenvolvido pela Williarts Internet