Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

Warning: getimagesize(controle/arquivos/noticias/eeca253b471889f9aec20abe651bb870.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/futebolbarretos/www/ver_noticia.php on line 23

23/02/2010 - Luis Fernando Gacho, a Patada Atmica do Amrica

Por Edwellington Villa


Na foto: AMRICA 1980 - Uma das formaes do Rubro durante a Taa de Prata. De p, a partir da esquerda: Ailton Silva, Ademir Gomes, Gerson Andreotti, Mauro, Luiz Fernando Calori e Reginaldo; agachados: Marinho, Rotta, Luis Fernando Gacho, Serginho ndio e Mazzola



"Luis Fernando domina de costas pro gol, protege, gira rapidamente para a esquerda, solta a bomba e goool do Amrica". Locutores esportivos se cansaram de narrar esse tipo de lance pelas ondas das emissoras de Rio Preto. Afinal, foram 42 gols marcados pelo Rubro no Paulisto, s nas edies de 1977 e 1979. A maioria com a jogadinha que ficou manjada. Mas assim como as atuais pedaladas do Robinho, ningum conseguia desarm-lo. O centroavante entrou para a histria do futebol como um dos maiores goleadores do Vermelhinho rio-pretense em todos tempos e at hoje lembrado por torcedores saudosistas. "Marquei mais de 120 gols s pelo Amrica. Todos documentados. Fiz mais que Cabinho, Cardoso e outros grandes centroavantes que passaram pelo clube", afirma Luis Fernando. A potncia de seu chute de perna esquerda era impressionante. Tanto que chegou a ser chamado de "Patada Atmica" por cronistas da poca. Quando ele arrumava para bater de canhota, mesmo de longa distncia, a torcida j ficava de p, com o grito de gol na garganta.

Luis Fernando Trieweiler nasceu em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, no dia 29 de maro de 1955. Ainda guri arriscou a sorte como jogador de futebol. A partir de 1973 passou a defender o time juvenil do Internacional de Porto Alegre. Na temporada seguinte foi campeo da Copa So Paulo de Juniores e artilheiro do time gacho, com seis gols."Fiz os dois na vitria de 2 a 1 sobre a Portuguesa na final", recorda. Ainda como juvenil, fez parte do elenco bicampeo brasileiro (1975/76) e octacampeo gacho pelo Inter. Inclusive, no Brasileiro de 1975, como reserva de Flvio, disputou dois jogos e marcou um gol. Foi convocado pelo tcnico Cludio Coutinho para defender a Seleo Brasileira Sub-20, em 1976. Em janeiro da temporada seguinte, a diretoria colorada queria dar mais experincia a Luis Fernando e props uma troca com o Operrio (MS). Ofereceu o atacante pelo grandalho zagueiro Mario, que depois jogou no So Paulo. Estava tudo acertado, mas Luis Fernando melou o negcio. "No vou jogar no meio do mato. Posso fazer 50 gols que ningum vai ficar sabendo", justificou. Precisando de um "matador" para o Amrica, o presidente Benedito Teixeira foi busc-lo em Porto Alegre e conseguiu seu emprstimo gratuito por um ano.

A documentao dele no ficou pronta para a abertura do Paulisto, contra a Portuguesa, dia 6 de fevereiro de 1977, em So Paulo. Resultado: 3 a 0 para a Lusa. Estreou na segunda rodada, diante do XV de Ja, e mostrou a que veio ao marcar o primeiro gol na vitria por 3 a 0 e ser escolhido o melhor jogador em campo. Terminou o estadual como quarto artilheiro, junto com Enas, da Portuguesa, com 21 gols. Serginho Chulapa (So Paulo) com 32, foi o principal goleador; seguido por Toninho (Palmeiras) com 26 e Geraldo (Corinthians), 23. No ano seguinte, mais experiente, Luis Fernando voltou ao Inter, mas encontrou como concorrente Mrio, ex-Corinthians. Teve poucas oportunidades e em junho de 1979 foi includo na transao envolvendo o ponta-esquerda Silvinho, revelao do Amrica. Birigi negociou com Celso Corbellini, diretor do Colorado, que cedeu Luis Fernando em definitivo, por Cr$ 2 milhes, e emprestou por um ano o apoiador Clo, que tambm fez sucesso no Rubro.

Naquele ano, o Vermelhinho j contava com o goleiro Luiz Fernando Calori. Para distinguir um do outro, o jeito foi incorporar ao nome do atacante a sua procedncia. Passou a ser chamado de Luis Fernando Gacho. O complemento fez bem ao "matador". Reestreou em alto estilo ao marcar o segundo gol na vitria por 2 a 0 sobre o Santos, carimbando a faixa do ento campeo paulista. Naquele 8 de julho de 1979, mais de 21 mil torcedores se espremeram nas dependncias do estdio Mrio Alves Mendona. Retribuiu o carinho da torcida e do clube com gols. Foram 21 e a artilharia isolada do Paulisto de 1979, com cinco de vantagem sobre Rubens Feijo, do Santos. Pela primeira vez na histria, um jogador do Amrica alcanou esta faanha. Manteve o mesmo embalo na Taa de Prata. S contra o Novo Hamburgo, time da sua terra natal, fez dois gols na vitria de 4 a 1. "Em 12 jogos, vencemos 10, empatamos um e perdemos um", relembra.

Assediado por Milan e Npoli
No auge da carreira de Luis Fernando, o empresrio Juan Figger queria lev-lo para o exterior. O Amrica chegou a recusar propostas de US$ 300 mil feitas pelo Milan e pelo Npoli. De tanto assdio, Birigi no conseguiu segur-lo. Acabou vendido ao Amrica do Mxico, que o emprestou aos Los Angeles Aztecs, da Liga Norte-Americana. "Joguei contra o Cosmos de Nova Iorque, que tinha Beckenbauer, Carlos Alberto Torres e outras feras", relata. Ganhava US$ 5 mil por ms (R$ 9.250 pelo cmbio atual). "Hoje, jogador sai do jnior ganhando R$ 20 mil", compara. Em 1982 foi emprestado ao So Paulo, onde ficou seis meses, mas disputou apenas cinco jogos em razo de uma contuso grave que sofreu. Voltou aos Estados Unidos para defender o Tampa Bay, da Flrida.

Dois anos depois, jogou seis meses no Estoril de Portugal e a outra metade do ano esteve no Grmio. A paixo falou mais alto e em 1985 retornou ao Amrica. Fez uma boa campanha, junto com Barbiroto, Orlando Fumaa, Catanoce, Man e outros. Permaneceu no Rubro at 1986, quando pendurou a chuteira. Trabalha como vendedor de componentes para calados (couro, frma e sola). Divorciado, Luis Fernando leva uma vida tranqila em Campo Bom, a 35 km. de Porto Alegre. "Sou americano roxo e embaixador do Amrica no Sul", afirma o goleador, ansioso pela formatura de Jnior, seu nico filho, que conclui no final do ano o curso de bacharel em direito.

Fichas tcnicas:


Amrica 3 x 0 XV de Ja


Amrica
Edson; Cleto, Flvio, Jairzo e Luizinho; Nelson Prandi, Wilson Luiz e Marcelo (Cacau); Arlem, Luis Fernando Gacho (Serginho ndio) e Iaca.
Tcnico: Carlitos.


XV de Ja
Ico; Galli, Estevam Soares, Marco Antnio (Olavo) e Lelo; Luiz Drio, Ademir Melo e Sabar; Valdomiro, Navarro e Antnio Carlos. Tcnico: Cilinho.

Gols: Luis Fernando Gacho aos 16 e Iaca aos 21 e aos 34 minutos do primeiro tempo.
Juiz: Oscar Scolfaro.
Renda: Cr$ 81 mil.
Pblico: 4.377 pagantes e 186 menores.
Local: estdio Mrio Alves Mendona, em Rio Preto, quarta-feira, 9/2/1977, pela 2 rodada do Paulisto, na estria de Luis Fernando no Amrica.

Amrica 2 x 0 Santos


Amrica
Luiz Fernando Calori; Berto, Mauro, Jorge Lima e Ademir Gomes; Serginho ndio, Paulo Luciano (Arlem) e Marcelo; Marinho, Luis Fernando Gacho
(Gerson Andreotti) e Cndido. Tcnico: Wilson Francisco Alves, o Capo.


Santos
Pas; Nelsinho Baptista, Joozinho, Antnio Carlos e Gilberto Sorriso; Z Carlos (Clio), Toninho Vieira e Claudinho (Rubens Feijo); Nilton Batata, Juari e Joo Paulo. Tcnico: Chico Formiga.

Gols: Serginho ndio aos 3 minutos do primeiro tempo e Luis Fernando Gacho aos 14 minutos do segundo tempo.
Juiz: Joo Leopoldo Aieta.
Renda: Cr$ 994.880,00.
Pblico: 19.123 pagantes e 2.038 menores.
Local: estdio Mrio Alves Mendona, em Rio Preto, dia 8/7/1979, pelo 1 turno do Paulisto, na reestria de Luis Fernando, aps retornar do Inter-RS.

Amrica 4 x 0 Novo Hamburgo


Amrica
Paulo Roberto; lvaro, Luiz Felipe, Paulo Vieira e Tlio; Cleber, Lourival e Eberson (Batar); Itamar, Pinguela (Cabinho) e Passos. Tcnico: no obtido.


Novo Hamburgo
Luiz Fernando Calori; Paulinho (Reginaldo), Ailton Silva, Jorge Lima (Mauro) e Ademir Gomes; Gerson Andreotti, Rotta e Serginho ndio; Marinho, Luis Fernando Gacho e Mazzola. Tcnico: Wilson Francisco Alves, o Capo.

Gols: Luis Fernando Gacho aos 8 e Paulo Vieira aos 12 minutos do 1 tempo. Luis Fernando Gacho aos 8, Mazzola aos 18 e Marinho aos 30 minutos do segundo tempo.
Juiz: Jos Carlos Bezerra (SC).
Renda: Cr$ 195 mil.
Pblico: 2.497 pagantes.
Local: estdio Santa Rosa, em Novo Hamburgo, quarta-feira, 12/3/1980, pelo Grupo G da primeira fase da Taa de Prata (atual Brasileiro da Srie B).

Palmeiras 0 x 0 Amrica


Palmeiras
Martorelli; Diogo, Mrcio, Vagner Bacharel e Denys; Lino, Mendona e Edu Manga (Barbosa); Jorginho, Edmar e Eder (Mirandinha). Tcnico: Jos Luis Carbone.


Amrica
Roberto Costa; Csar, Orlando Fumaa, Roberto Fonseca e Daniel; Ademilson, Dito Siqueira e Serrano; Izael (Xande), Gilson (Luis Fernando Gacho) e Emo. Tcnico: Joo Avelino.

Juiz: Flvio de Carvalho.
Renda: Cz$ 452.760,00.
Pblico: 16.160 pagantes.
Local: Parque Antrtica, em So Paulo, dia 6 de agosto de 1986, pelo segundo turno do Paulisto, numa das ltimas partidas de Luis Fernando Gacho pelo Amrica.


Busca de notícias      








Todos direitos reservados 2021 - Desenvolvido pela Williarts Internet