Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

Warning: getimagesize(controle/arquivos/noticias/ed544df9ad978f3074b06d7c97ab3e1d.jpg): failed to open stream: No such file or directory in /home/futebolbarretos/www/ver_noticia.php on line 23

10/02/2010 - Lembra dele? Bazani, o insupervel !!!

Insupervel. O maior dolo da Ferroviria, Olivrio Bazani Filho, o atleta que mais vestiu a camisa 10, em 758 jogos; e tambm o maior artilheiro do clube, com 244 gols. O primeiro a ter um busto na Fonte Luminosa. Meio sculo de vnculo com o clube. Chegou para testes em 1954 e se dedicou ao clube at 2006. Passou 2 anos no Corinthians. Morreu aos 72 anos, no dia 13 de outubro de 2007.



Bazani comeou no juvenil da Mirassol, de sua terra natal, ele de 3 junho de 1935. Despertou a ateno dos diretores da Ferroviria em um jogo amistoso. Convidado para treinar no Fluminense desceu do trem em Araraquara para acompanhar os amigos China e Ico. Coisas dos homens da Estrada de Ferro, aonde as notcias chegavam primeira mo.



Com enorme vontade de ser profissionalizado, Bazani tinha um problema: o titular Z Amaro era bom demais e o negcio era ter pacincia.

Aos poucos, Bazani entrava no jogos da Segundona de 1954, sob as ordens de tcnico Renganeschi, mas a cabea ainda estava no Fluiminense.



A chance surgiu em 1955 e na estria do Campeonato da Segunda Diviso. O titular Mrio estava suspenso, Z Amaro havia sido vendido, e Capil escalou o meia de 19 anos, que no decepcionou e marcou dois gols na vitria frente ao Paulista de Jundia, na Fonte Luminosa, por 4x2. Titular no jogo seguinte, Bazani marcou mais dois em Catanduva em outra goleada, por 4x2, diante do time da casa. O sonho de ir para o Flu estava por ora adiado.

A campanha seguiu invicta e com a goleada diante do Botafogo, por 6 x 3, Bazani balanou as redes marcando dois gols, Gomes, 2, e Cardoso, 2, em 15 de abril de 1956, a Ferroviria conseguiu o acesso Diviso Especial com apenas 6 anos de fundao



As boas atuaes da Ferroviria, na Diviso Principal, assustavam os grandes. Em 1959, o clube da Estrada terminou em terceiro lugar. O goleiro Rosan, o volante Dudu e o meia Bazani foram convocados para a seleo paulista. Bazani e Pel se revezaram em alguns jogos. "Bom companheiro, humilde e com esprito coletivo", resume Bazani em depoimento gravado em 1998.

A seleo conseguiu o tetracampeoanato nacional, de 1960 e Bazani recorda com o humor o jogo contra os cariocas no Maracan. "O Paulo Amaral pediu que eu ajudasse o Oreco na marcao do Garrincha. Eu pegava o meio e o Oreco cercava as beiradas. Deu tudo errado. Garrincha deitou e rolou e eu fui, com muito orgulho, mais um "Joo"...

Bazani entra titular e Pel fica no banco

No jogo de ida da primeira fase, os paulistas venceram a seleo baiana por 2 a 0, em Salvador. Na partida de volta, no Pacaembu, Aymor optou pela escalao de Bazani na meia-esquerda e deixou na reserva Pel, j idolatrado como campeo mundial pela Seleo Brasileira na Copa da Sucia em 1958. No primeiro tempo, os paulistas fizeram 1 a 0, gol de Pepe. No intervalo, Aymor colocou Pel no lugar de Bazani. O banco deve ter deixado o "Atleta do Sculo" irado e quem pagou o pato foi o time baiano, que no viu a cor da bola. Resultado, o "Rei do Futebol" marcou trs gols, Pepe fez mais dois e Chinezinho completou o massacre de 7 a 1.



Teve o jogo contra os mineiros e a seleo paulista venceu o primeiro tempo por 3 x 0. No intervalo Pel saiu e entrou Bazani. Os mineiros reagiram e vitria paulista foi suada por 4 x3.

No dia seguinte a manchete dos jornais esportivos: Pele saiu, Bazani entrou e complicou!

Fatos que Bazani relata com humor e orgulho, pois conviver com Pel foi timo, recorda.



Tricampeo do Interior e detentor da Taa dos Invictos



Bazani comandava a Ferroviria dentro do gramado nos anos 1960. Excursionaram em 1960, 1963 e 1968, com brilhantes atuaes em Portugal, Espanha, frica Portuguesa e Amrica Central. Destaque na campanha do acesso, de volta, em 1966, e na conquista do Tricampeonato do Interior 1967, 1968 e 1969, alm da Taa dos Invictos em 1970.



Duas temporadas no Corinthians


Bazani tornou-se um carrasco do Corinthians. Na temporada de 61, a Ferroviria venceu os dois confrontos diante do Alvinegro, ambos por 2 a 1. No primeiro turno, o jogo aconteceu na Fonte Luminosa e no segundo, no Parque So Jorge. Em maro do ano seguinte, as duas equipes se enfrentaram em partida amistosa e os afeanos golearam por 4 a 1, na Fazendinha, em So Paulo, com o primeiro gol marcado por Bazani. Pela Taa So Paulo, em junho de 1962, a Ferrinha voltou a triunfar, vencendo por 2 a 0. Impressionados com a categoria daquele habilidoso meia-esquerda, dirigentes corintianos o contrataram. Ele concretizou um sonho, repetindo o caminho do pai, que atuou como zagueiro da equipe paulistana na dcada de 40.

O primeiro campeonato de Bazani pelo Corinthians foi o Torneio Rio-So Paulo de 1963. Estreou na derrota de 1 a 0 para o Palmeiras, dia 23 de fevereiro. Ele substituiu Rafael durante a partida. Seu primeiro jogo como titular aconteceu em 3 de maro, na derrota de 2 a 0 para o Santos, com dois gols de Pel. E a primeira vez que marcou com a camisa 10 do Timo foi na vitria de 2 a 0 sobre o Olaria, dia 21 de maro, ainda pelo Rio-So Paulo, na sua quinta apresentao no clube mosqueteiro.



No famoso clssico Santos 7 x 4 Corinthians, Bazani lembra que comeou bem e marcou gol, mas novamente o Pel desequilibrou. "Contra o Corinthians ele entrava mais ligado. Parece que tinha raiva e desequilibrava mesmo", confessa.



Tudo ia bem at que no final de 1964 surgiu um moleque chamado Rivellino, que virou xod da Fiel. A concorrncia foi desleal. A torcida e a imprensa pressionaram pela escalao do novato e Rabi perdeu seu espao, retornando Ferroviria em junho de 1965.









Tcnico e Supervisor



Sempre ligado Ferroviria, Bazani exerceu as funes de tcnico do amador, juvenil, juniores e profissionais. Campeo dos Jogos Abertos de 1977, Juniores de 1993, Quarto colocado no Paulisto, de 1985 e descobridor de talentos como Z Roberto, Dama, Mauro Pastor, Marco Antnio, Donato, Sidnei Alstico, entre outros.

Observar os jogos dos adversrios foi outra funo que Bazani assumiu com eficincia, alm de supervisionar as categorias da base. Em abril de 2007, o busto do Rabi, apelido que trouxe de Mirassol, foi entronizado na Fonte Luminosa por iniciativa da Prefeitura, por meio da Fundesport.



Uma famlia de esportistas

O pai Olivrio Bazani foi atleta. Jogou no Mirassol e Corinthians, nas dcadas de 30 e 40. O irmo Bazaninho marcou poca no So Bento, de Sorocaba, e So Paulo FC. A irm Nadir foi estrela do basquete atuando nos rivais: Corinthians e Palmeiras. Vivo de Maria Ins, com a qual teve dois filhos:Lelo e Marins, Bazani ainda teve Ana Carolina com a companheira Aparecida Becastro.



Obreiro do Bem

Convicto nos ensinamentos do espiritismo, Bazani freqentou e colaborou com a entidade Obreiros do Bem por longos anos. Formado em Odontologia, pela Unesp de Araraquara, na turma de 1960, trabalhou por dcadas no Hospital Caibar Schuttell atendendo aos internos.

Em 1998, Bazani recebeu o ttulo de cidado araraquarense para orgulho de sua me, a dona Catarina que prestigiou a solenidade cercada de toda famlia.



O legado insupervel

Bazani deixou um legado imensurvel em realizaes esportivas e sociais. Suas atuaes em campo defendendo a Ferroviria com raa e amor. Nmeros indiscutveis e, com certeza, jamais sero superados: 244 gols em 758 jogos.

Trabalho voluntrio no Hospital Caibar e no Centro Obreiros do Bem sempre voltado para ajudar ao prximo.

Amigos dentro e fora dos gramados. Um cidado que amou esta terra.



Confira fichas tcnicas abaixo.





Ferroviria 6 x 3 Botafogo - 1956
Ferroviria
Fia; Izan e Ferracioli; Dirceu, Pixo e Helcias Pirola; Paulinho, Cardoso, Gomes, Bazani e Boquita. Tcnico: Clvis Van Dick, o Capil







Botafogo
Machado; Fonseca e Julio; Wilsinho, Oscar e Xorete; Laerte, Amorim, Brotero, Neco e Fernando. Tcnico: no obtido.

Gols: Bazani (2), Cardoso (2) e Gomes (2) para a Ferroviria. Fernando, Amorim e Brotero para o Botafogo.
Juiz: Paulo Simes.
Renda: no obtida. Pblico: cerca de 20 mil pessoas.
Local: estdio da Fonte Luminosa, em Araraquara, domingo, 16/4/1956, na penltima rodada do Campeonato Paulista da Segunda Diviso, quando a Ferroviria conquistou o acesso antecipado ao Paulisto.






Seleo Paulista 7 x 1 Seleo Baiana - 1960
Seleo Paulista
Gilmar dos Santos Neves; Z Carlos, Olavo e Juths; Zito e Oreco; Dorval, Chinezinho, Coutinho, Bazani (Pel) e Pepe. Tcnico: Aimor Moreira.







Seleo Baiana
Peri-Peri; Valvir, Henrique e Boquinha; Pinguela e Nelinho; Lai, Carlinhos, Lo, Haroldo e Biriba. Tcnico: no obtido.
Gols: Pepe aos 3 minutos do 1 tempo. Pel aos 3, aos 31 e aos 40, Pepe (pnalti) aos 6 e aos 44, Chinezinho aos 15, Biriba aos 34 minutos do 2 tempo.
Juiz: Eunpio de Queiroz.
Renda: Cr$ 1.075.400,00.
Pblico: no obtido.
Local: Pacaembu, em So Paulo, domingo, 24/1/1960, pelo Campeonato Brasileiro de Selees, quando Pel ficou na reserva de Bazani.






Corinthians 2 x 0 Olaria - 1963
Corinthians
Arlindo; Walmir, Eduardo e Ari Clemente; Amaro e Oreco; Marcos, Silva, Ney (Manoelzinho), Bazani e Lima (Rafael). Tcnico: Fleitas Solich.







Olaria
Ari; Valtinho, Navarro e Casemiro; Haroldo e Edil (Mafra); Othon, Lus Carlos, Jaburu, Valdemar (Borges) e Roberto Peniche. Tcnico: Duque.

Gols: Ney aos 18 e Bazani aos 40 minutos do segundo tempo.
Juiz: Amlcar Ferreira.
Renda: Cr$ 1.056.850,00.
Pblico: no obtido.
Local: Pacaembu, em So Paulo, quinta-feira, 21/3/1963, pelo Torneio Rio-So Paulo, quando Bazani marcou seu primeiro gol pelo Corinthians na quinta partida que ele disputou pelo Alvinegro.














Corinthians 1 x 4 Ferroviria - 1968



Corinthians: Diogo; Osvaldo Cunha, Almeida (Galhardo) (Clvis). Luiz Carlos e Maciel; Tio, Tales e Rivelino; Buio, Paulo Borges e Eduardo. Tcnico: Luiz alonso, o Lula.



Ferroviria: Machado; Baiano, Fernando, Rossi e Fogueira; Bebeto, Bazani e Maritaca; Valdir, Tia e Pio. Tcnico: Diede Lamiero.



Gols: Maritaca, Almeida (contra), Teia, Bazani AFE. Paulo Borges Corinthians.



rbitro: Oscar Scolfaro. Estdio Pacaembu. 1 /junho/1968. Renda: NCr$ 12.597,5. Campeonato Paulista, Primeira Diviso.








Ferroviria 4 x 1 Santos FC - 1971

Ferroviria
Carlos Alberto; Baiano, Fernando, Tico e Z Carlos; Muri e Ademir (Bazani), Tonho, Z Luiz (Nicanor de Carvalho), Lance e Nei. Tcnico: Almeida.







Santos
Cejas; Orlando Lel, Paulo, Oberdan e Rildo; Clodoaldo (Lima) e Lo; Rogrio, Ferreti, Pel (Douglas) e Edu. Tcnico: no obtido.

Gols: Lance, Z Luiz, Bazani e Nei para a Ferroviria. Douglas para o Santos.
Juiz: Jos Favile Neto.
Renda: Cz$ 59.668.00.
Pblico: 22.164 pessoas.
Local: estdio da Fonte Luminosa, em Araraquara, domingo, 7/3/1971, pelo segundo turno do Paulisto.






Ferroviria 1 x 1 So Paulo FC - 1972
Ferroviria
Srgio Bergantim (Lula); Mariani, Pdua, Tico e Z Carlos; Muri e Bebeto; Luizinho, Z Luiz, Nicanor de Carvalho e Vgner. Tcnico: Olivrio Bazani Filho.







So Paulo
Srgio Valentim; Pablo Forlan, Samuel, Arlindo e Gilberto Sorriso; Roberto Dias e Pedro Rocha; Paulo (Terto), Z Carlos Serro, Toninho Guerreiro e Paran (Wilton). Tcnico: Alfredo Ramos.

Gols: Luizinho para a Ferroviria e Toninho Guerreiro para o So Paulo.
Juiz: Wilmar Serra. Renda: Cz$ 93.254,00. Pblico: 11.074 pagantes.
Local: estdio da Fonte Luminosa, em Araraquara, dia 13 de agosto de 1972, pelo Campeonato Paulista, na estria de Bazani como tcnico da Ferrinha.


(Colaboraram: Ed Villa, Marcelo Cirino e Tet Viviani)



Busca de notícias      








Todos direitos reservados 2022 - Desenvolvido pela Williarts Internet