Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

20/01/2010 - Ranking de jogadores; Uma questão de matemática: Por Mazinho Dias

Terminada a temporada de 2009 com 99% dos desportistas barretenses errando sobre quem seria o campeão varzeano, eis que já falamos na temporada 2010 e de novo volta a tona as discussões de idéias para definirmos a melhor formula de disputa no campeonato mais apaixonante da cidade.
Neste ano, assim como foi no ano passado, uma das idéias que mais tem gerado conversa é a criação de um ranking de atletas com o objetivo de tentar diminuir a gritante distancia técnica que existe entre as chamadas equipes "grandes" e as "pequenas" de nossa varzea. Como é de conhecimento publico sempre me posicionei contrário a criação do tal ranking, dizendo que isso não existe em nenhum lugar onde o futebol é disputado e que infelizmente, na maioria das vezes, no mundo da bola chora menos quem pode mais.
Tal colocação de minha parte parece não ter convencido os defensores da criação do tal ranking, então resolvi tentar explicar de forma matemática para ver se desta vez eles entendem, vejamos:
A idéia é criar um ranking com os 60 melhores jogadores e cada equipe poderá assinar somente seis jogadores desta listagem, evitando a formação de super equipes.
Oras, se lembrarmos que temos apenas quatro equipes consideradas grandes, então apenas 24 atletas desta listagem estarão disputando o certame, pois os outros 36 não vão querer jogar em equipes "pequenas" e nem em outra equipe que não lhe oferecer qualquer vantagem, pois por força de regulamento (criado por tais equipes) ele não pode jogar de forma remunerada para os "grandes" porque vai aceitar jogar gratuitamente para os "pequenos"?
Sendo assim, dos 60 melhores 24 atuarão para os grandes e 36 não atuarão pra ninguém.
Como cada equipe tem direito a 23 fichas de inscrição (em 2009 foram 23) e as "grandes já assinaram seis fichas referente ao ranking, cada equipe grande ainda precisa assinar 17 jogadores para compor o seu elenco, totalizando 68 jogadores.
Oras, cada um dos grandes obviamente irão assinar para defender suas cores os melhores jogadores dos "pequenos".
Então os "pequenos" não assinarão nenhum dos 60 atletas ranqueados (considerado os melhores) e nenhum dos 68 melhores jogadores não ranqueados.
Fica a pergunta: Quais jogadores os times "pequenos" irão então assinar para a montagem de seu elenco?
É preciso reconhecer que impedir os "grandes" de contratar os melhores não é a saída para uma melhor equiparação entre as equipes, mesmo porque seja qual for a formula de disputa os "grandes" irão sempre montar os melhores plantéis.
Fortalecer quem hoje esta fraco sem procurar enfraquecer quem hoje esta forte, é a saída para que a distancia técnica entre "grandes e pequenos" na várzea barretense não seja quilométrica.
Argumentar que mesmo antes da bola rolar todos já sabemos quem serão os finalistas não serve como referencia.
Alguém tem alguma duvida sobre quem serão os finalistas nos campeonatos Paulista, Carioca, Mineiro, Gaucho, Baiano, Pernambucano e vários outros?
Mas alguém pode dizer, que eles são profissionais, oras, é simples, procure se informar quem deverão ser os finalistas da várzea de Ribeirão Preto, Franca, Rio Preto, Campinas, Sorocaba ou qualquer outra cidade.
Serão sempre os mesmos, e nunca passam de três ou quatro equipes.
Tentar fazer um campeonato varzeano onde o Monte Negro tenha um poderio de fogo pelo menos próximo a ADPM, Os Periquitos, Camarões e Frigorífico, é tentar fazer que na Copa do Mundo a seleção da Nova Zelândia tenha a mesma força que Brasil, Alemanha, Itália e Argentina.



Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2022 - Desenvolvido pela Williarts Internet