Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

22/10/2009 - Opinião de Mazinho Dias: Faltou bom senso entre os dirigentes

Depois de confessar publicamente que eu não tenho uma opinião formada sobre quem deveria ser desclassificado na questão entre Camarões e Barretos II, confesso que embora não seja a saída legal, a realização de uma nova partida seria a forma "menos injusta" de darmos prosseguimento ao campeonato varzeano em sua Série A.
Vejam bem; de um lado nós temos o Camarões que foi induzido ao erro pelo representante da partida. Isso porque antes de realizar a malfada sétima substituição a comissão técnica da Camarões checou junto ao mesário se a substituição poderia ser realizada, e em recebendo um sim como resposta, processou a mesma.
Oras, o regulamente é muito claro quando diz que o numero máximo de substituições são seis, mas não diz em lugar nenhum qual a pena que deve ser aplicada a quem infringir este item.
Por exemplo, todos nós sabemos que no código penal cometer assassinato é crime, e o próprio código penal trás em seu conteúdo a pena que deve ser imposta a quem cometer tal crime.
No caso em questão só existe a regulamentação sobre o numero máximo de substituições, mas não cita em sua extensão a pena a ser aplicada.
Depois temos por outro lado a equipe de Barretos II, que tem em seu discurso o seguinte teor: "Alguém errou e não fomos nós".
Em meio as duas equipes esta a figura do representante, que como o próprio cargo já diz, ele "representa" o presidente da Liga Barretense de Futebol, então ele não é uma figura qualquer e um aval dele tem que ser sempre considerado, mesmo porque em momento algum ele negou que tenha dito que a substituição poderia ser processada.
Na sequencia aparece os interesses de ADPM, Os Periquitos e Nova Santana, que nada tem com isso, mas passam a ser partes interessadas a partir do momento que o certame corre o risco de ficar paralisado e os seus investimentos descendo pelo ralo.
Camarões e Barretos II entram no tapetão com reais chances de não conseguirem êxito, e uma disputa dentro de campo, em condições de igualdade seria a mais rápida e, repito "menos injusta" forma de resolver a pendenga, que se for mesmo para o tapetão vai deixar, no mínimo, a cidade com um jejum de um mês sem futebol.
Sendo assim, colocando na balança os interesses e investimentos de ADPM, Os Periquitos, Nova Santana, Camarões, Barretos II e da municipalidade concluo que uma nova partida deveria ser realizada por respeito a todos.
Um campeonato que já sofreu alterações na sua formula de classificação para que a motivação voltasse aos gramados poderia sim, através do bom senso de Barretos II e Camarões, voltar a ser festivo com um bom jogo no domingo pela manhã.
Imperando a falta de bom senso em uma questão onde a legalidade é um assunto muito complexo, não nos resta alternativa senão lamentar a falta de flexibilidade de algumas pessoas.
é sempre assim, casa onde falta o leite, todo mundo chora e ninguém tem razão.

Mazinho Dias (foto), é repórter esportivo da Radio Jornal de Barretos e apresenta de segunda a sábado o programa "Chegando Junto" as 11:45h.


Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2022 - Desenvolvido pela Williarts Internet