Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

26/08/2009 - Lembra dele? Douglas Onça, o quinto artilheiro da história da Ferroviária

Paulinho e Daniel Gonzalez do Corinthians apertam marcação em cima do quinto artilheiro da história da AFE, Douglas Onça com 66 gols - Jogo de 1983



O garoto da Vila Xavier, Douglas Onça, mostrava qualidade no campinho do Mangueirão que ficava no início da Avenida 22 de agosto. Descalço, franzino, se destacava no passe certo e no domínio da bola, mesmo atuando contra os meninos maiores. No seu time se 5 ou 6 se outro destaque era o arrojado goleiro Fernandão que mergulhava naquele chão duro para evitar gols dos adversários, que só valia se fosse rasteiro, pois a meta era delimitada com pedra, sem traves e sem redes... (1966)

Do Universal, do Crisnamurt Teixeira, o Murtão, onde Douglas disputava o dente de leite foi para o Palmeiras EC da Vila fundado em 1945, de muita tradição no futebol amador. (1971)
Ainda juvenil chegou à Ferroviária e mais uma vez conquistou a posição de titular atuando com jogadores mais experientes, daí a fácil identificação feita pelo radialista Wilson Luiz: - Douglas Onça, o garoto de ouro da Vila Xavier! (1978)
Estreou na equipe titular na vitória da AFE sobre a Francana por 2 x 0, em 21 de outubro de 1979.
Jogador técnico impunha ritmo no meio-campo, dentro da área do adversário era frio e decisivo. Os times grandes tinham preocupação em marcá-lo de perto.
Marcou época na Ferroviária disputando 08 campeonatos paulistas da principal divisão, duas taças de prata e uma de ouro (campeonato nacional de 1983).
Segundo pesquisa de Luís Marcelo Inaco Cirino: Douglas Onça é o quinto artilheiro da história da Ferroviária (1950 – 2009) com 66 gols, em 270 jogos – 89 vitórias, 87 empates e 94 derrotas.
Além da Ferroviária jogou ainda no Coritiba PR (84), Sport RE (85), Avaí (SC) (86), Atlético Goianiense - campeão (GO) (88) e Marcílio Dias (SC) (89).
Nascido em Araraquara, aos 31 de julho de 1957, Douglas Onça está com 52 anos e trabalha no ramo de telefonia celular, no centro de Araraquara, na Loja De Ponte, que fica na Rua 9 de Julho.
Atualmente Douglas está animado em integrar o projeto Escola da Família, desenvolvido pela professora de Educação Física Rafaela, aliás ele cursou Engenharia Civil, orientando um time de garotos na categoria Sub-17, o Ases de Ouro, no futsal. "É um novo desafio, pois sempre militei no futebol campo", afirma.
A família é o principal foco de Douglas Onça que curte os filhos Vinícius e Elisa, ao lado da esposa Célia Regina. Apreciador da boa música gosta de ouvir MP, samba, entre seus compositores preferidos estão:Chico Buarque, Vinícius de Moraes, Paulinho da Viola, Ataulfo Alves, Paulo Vanzolini, Marisa Monte.
Outro hobby que vem da infância, pois o pai foi um exemplar ferroviário, é o ferreomodelismo. Douglas esperava ansioso os jogos da Ferroviária em São Paulo, para que pudesse adquirir novas locomotivas e vagões para sua imensa coleção, que comprava com o dinheiro dos bichos.
Douglas, apesar de ser respeitado como um craque na sua geração encontrou dificuldades em ser negociado com um time grande, pois a maioria tinha grandes estrelas na sua posição como: Sócrates, Pita, Renato, Zenon, Alfredo, Cuca, Zico.
Careca, ex-centroavante do São Paulo, Napoli, Seleção Brasiliera, esteve recentemente visitando o Museu Ferroviário e perguntando sobre os confrontos com a Ferroviária lembrou do futebol de Douglas – "Ele jogava demais!".

Atuações memoráveis do matador Douglas Onça:
Ferroviária 3 x 1 São Paulo FC
Campeonato Paulista – Primeira Divisão –
Estádio Fonte Luminosa em Araraquara
20/outubro/1984 – Público: 5.035
Ferroviária: Ivan; Paulinho, Marco Antônio, Beto Fuscão e Ivaldo;
Milton, Sidinei Alástico e Douglas Onça; Claudinho, Freitas e Bozó. Técnico: Brida.
São Paulo FC: Barbiroto; Fonseca, Oscar, Dario Pereyra e Nelsinho; Márcio Araújo (Paulo Roberto), Renato (Casagrande) e Pita; Geraldo, Careca e Sidnei. Técnico: Cilinho.
Gols: Douglas Onça (3) (AFE) e Dario Pereyra (SPFC).
Expulsões: Claudinho, Oscar, Pita e Nelsinho.

Grêmio 1 x Ferroviária 3
Campeonato Brasileiro – Taça de Ouro – Terceira Fase
Estádio Olímpico Monumental de Porto Alegre
30/abril/1983 – Público 26.040
Árbitro: Pedro Carlos
Grêmio: Remi; Silmar, Leandro, De Léon e Cassemiro; China, Osvaldo e Tita; Renato, Caio e Tonho. Técnico: Valdir Espinosa
Ferroviária: Abelha; Marinho Paranaense, Arouca, Pinheirense e Divino, Dorival Júnior, Sidinei Alástico e Douglas Onça; Jorginho, Claudinho e Bozó. Técnico : Brida
Gols: Bozó, Casssemiro (contra) e Douglas Onça (AFE). Bonamigo (Grêmio)
Expulsões Arouca e Titã.


Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2022 - Desenvolvido pela Williarts Internet