Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

25/03/2009 - Histórias da bola: Promessas a craques que só ficaram no papel

Na foto, Katinha, promessa do Vasco que não vingou
O futebol brasileiro é, de fato, o país do futebol. E com ele, os exageros são proporcionais a magnitude. Se não vejamos. Os senhores já notaram como qualquer gol, que saia um pouquinho dos patrões atuais, o autor do tento já é chamado de craque? Atualmente, o nome da moda é Neimar, do Santos. Torço que esse menino, que recentemente completou 17 anos, emplaque, mas que a imprensa paulista está exagerando... Ah... Isso está.

DÉCADA DE 80: NO MENGÃO ERA... BIGU + 10
A quantidade de jogadores que ouvi ou li, que se tornariam craques e não vingaram é enorme. As pessoas com, no mínimo, 30 anos, devem se lembrar o cabeça-de-área Bigu, do Flamengo? O então técnico Carlos Alberto Torres estava tão empolgado que na véspera de um jogo, o jornalista perguntou a escalação do Rubro-Negro e o Capitão do Tri respondeu de prima: "É Bigu e mais 10".
No próprio Flamengo, em 1987, surgiu um meia-esquerda de 17 anos. O nome dele era Luís Antônio. Ele surgiu daquela geração de Júnior Baiano, Paulo Nunes, Djalminha, Rogério, entre outros. No entanto, apesar de ter sido campeão Brasileiro daquele ano, o craque esperado nunca surgiu.

FOGÃO: LUPERCÍNIO NÃO CANTAVA NADA
Lembro-me, que nesse período, o Botafogo fez loucuras para trazer do Ferroviário do Ceará, um ponta-esquerda chamado Lupercínio, que mais parecia nome de cantor. Para isso, deu uma quantia em dinheiro mais três jogadores, entre eles, o meia Ademir Lobo, um dos melhores jogadores da equipe. Porém, da estreia até o último jogo, o nosso ilustríssimo Lupercínio não mostrou ao que veio se tornando uma piada, que a torcida botafoguense teve que escutar dos rivais.

VASCÃO: NO DIA QUE KATINHA (foto) ENTORTOU O JÚNIOR... E SÓ
Outro que viu a esperança virar pó foi o Vasco. O clube trouxe o ponta-direita Katinha, que na sua estreia, no clássico contra o Flamengo, simplesmente entortou, nada mais nada menos do que Júnior. Após o jogo, a imprensa (acreditem os senhores), já pedia Katinha na Seleção Brasileira, de Telê Santana. Contudo, aquela fabulosa apresentação foi única. Nunca mais aquele futebol, que encantou a todos foi visto novamente, e olha que o Katinha não morreu, o futebol apresentado que desapareceu mesmo.

FLUZÃO: MARCELO HENRIQUE DRIBLADOR DENTRO E FORA DE CAMPO
O Fluminense trouxe do Bangu, um ponta-direita chamado de Marcelo Henrique, na época com 17 anos. Nesse caso específico o que ele tinha de bom jogador, tinha de pouca cabeça. A diretoria fez de tudo para colocá-lo na linha, mas como diz um velho ditado: "Quando um não quer... Não tem jeito". E o atacante saiu do Tricolor das Laranjeiras e sumiu do mapa, literalmente.

SÃO PAULO: CILINHO AFIRMOU QUE BERNARDO SERIA TITULAR NA COPA DE 90. ATÉ HOJE A CONVOCAÇÃO NÃO SAIU
No fim da década de 80, o então técnico do São Paulo, Cilinho, profetizou que o volante Bernardo seria titular absoluto da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da Itália, em 1990. Até hoje, o Bernardo deve está esperando essa convocação. Seguindo no Tricolor Paulista, o meia Adriano, que marcou um gol antológico, pela Seleção Brasileira Sub-17, no mundial da categoria, saiu do Guarani para o São Paulo com status de craque. Outra promessa que só ficou nos jornais da época.

FUTEBOL DE VERDADE: NÃO BASTA TEORIZAR, TEM QUE MOSTRAR
Enfim, esses são alguns dos milhões de histórias que acontecem no Brasil. E por quê? Porque a imprensa não tem a paciência de esperar que aquela promessa jogue 20, 30 jogos para tirar uma conclusão. O Ronaldinho Gaúcho, Kaká e Ronaldo Fenômeno, são craques porque apresentaram, pelo menos, 30 jogos, num nível acima dos patrões atuais.

FUTEBOL REAL: DEIXA ACONTECER NATURALMENTE
Preocupa-me essa ‘aceleração’ de querer transformar o Neimar em craque da noite para o dia. Espero, sinceramente, que esse moleque (no bom sentido da palavra), tenha cabeça boa e que deslanche, mas que tal mídia para elevá-lo aos deuses não faz bem... Ah isso não faz.

Mal ou bem, no Rio, a imprensa ainda dá uma trégua para as jovens promessas, comparado a São Paulo. O Flamengo com o meia Erick Flores; o Vasco com Philippe Coutinho; o Fluminense com Tartá e o Botafogo com o goleiro Luís Guilherme. Temos que dar tempo ao tempo para saber quem é o ‘joio’ e quem é o ‘trigo’.

E você, quais são os outros jogadores que surgiram como promessas e ficaram na saudade? Deixe o seu comentário e vamos relembrar as pérolas do nosso futebol pentacampeão mundial.



Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2022 - Desenvolvido pela Williarts Internet