Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

09/04/2012 - Gol aos 47 min do 2º tempo sela destino do XV de Jaú

A bola pune!". A famosa frase do técnico santista Muricy Ramalho entrou em ação contra o XV de Jaú já nos acréscimos da partida diante do Taboão da Serra ontem.
Empate por 2 a 2 e o Galo da Comarca rebaixado para a Segunda Divisão do futebol paulista em pleno domingo de Páscoa. Em todos os sentidos, uma manhã de outono que o torcedor quinzeano jamais esquecerá.
Durante toda a temporada, o rebaixamento vinha sendo ensaiado pelo clube jauense.
Em campo, atuações apáticas dentro do Jauzão e falta de imposição fora de casa. Fora de campo, muitas contratações que não deram o retorno esperado – como atacantes que não marcavam gols – e uma gestão esportiva considerada centralizadora pela oposição do clube.
Todos esses erros foram maximizados com o gol de Nandinho, do lanterninha e até então coadjuvante Taboão da Serra, aos 47 minutos do segundo tempo.

Tudo certo

Apesar do forte calor, o XV começou a partida de ontem pressionando o Taboão da Serra. Aos 34 minutos, o meia-atacante Nathan dominou a bola e mandou para o fundo das redes do goleiro Rafael. 1 a 0. Mesmo que ainda desordenado, o time jauense ainda desperdiçou chances de matar o jogo na primeira etapa.
Veio o começo da segunda etapa e o lateral-esquerdo Igor, em um chute despretensioso, ampliou o marcador para o Galo: 2 a 0.
Um resultado bastante comemorado nas arquibancadas do Estádio Zezinho Magalhães. Estava dando tudo certo. A Inter de Bebedouro era goleada pela Inter de Limeira, e o Flamengo de Guarulhos perdia em casa para o Guaçuano. Restava apenas o Galo fazer a parte dele.

Tudo errado

Mas o time, inexplicavelmente, parou em campo. Aos 15 minutos da segunda etapa, a zaga do XV falhou e o atacante Éderson bateu na saída do goleiro Walter para diminuir: 2 a 1. Ainda era um placar favorável aos jauenses.
Tudo ficou pior aos 26 minutos, quando o volante Eduardo fez falta dura em André Paulista e foi expulso, deixando o Galo com dez jogadores em campo. Prevendo a tragédia, o técnico André Oliveira passou então a substituir jogadores do setor ofensivo colocando volantes e zagueiros para tentar segurar a vitória a qualquer custo. Mas o pior ainda estava por vir.
A torcida do Galo já comemorava a permanência na Série A-3 por mais um ano quando nos acréscimos a defesa do XV parou para assistir o atacante Nandinho cabecear livre: 2 a 2.
Sim, a bola pune.



Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2018 - Desenvolvido pela Williarts Internet