Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

Warning: getimagesize(controle/arquivos/noticias/e389d862e3c701c53b622c34b9aab19b.jpg) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/futebolbarretos/www/ver_noticia.php on line 17

27/07/2011 - Tunel do tempo: João do Pulo, há 35 anos ele brilhava em Montreal

O paulista João Carlos de Oliveira, que ficou conhecido no Brasil como "João do Pulo" nasceu em Pindamonhangaba, em 28 de maio de 1954, como a maioria dos negros brasileiros de família muito pobre, chegou a trabalhar como ajudante de frentista em posto de gasolina.


Ainda adolescente, em 1969, ingressou no exército, onde cumpriria uma carreira militar de 14 anos aonde chegou à patente de sargento.


João Carlos de Oliveira, o "João do Pulo", mostrou logo como juvenil o seu excelente talento ao quebrar o recorde mundial da categoria no salto triplo com 14,75 metros no Sul-americano de 1973.


Dois anos depois, nos Jogos Panamericanos da Cidade do México, aconteceria o momento de maior glória em sua carreira.


Primeiro ganhou a medalha ouro no salto em distância (8,19m) e na sua última tentativa no salto triplo, com um salto magnífico, de 17,89 metros, entrou para a história do esporte com um recorde mundial que levaria 10 anos para ser superado.


Na Olimpíada de Montreal-1976, João do Pulo conseguiu sua primeira medalha olímpica com um bronze. A marca de 16,90 metros não foi das suas melhores.


No Pan-americano de Porto Rico, João do Pulo se tornou bicampeão nas suas especialidades: no salto triplo (17,27m) e em distância (8,18m) reafirmando seu favoritismo para a próxima Olimpíada.


Na Olimpíada de Moscou, João do Pulo era um dos favoritos para a medalha de ouro e acabou roubado em seus resultados o que só viria a ser desmascarado 20 anos depois.


João Carlos já havia feito 11 tentativas e os fiscais de linha haviam invalidado oito, alegando que o brasileiro pisara na marca. Ao concluir um dos saltos, João do Pulo caiu numa caixa de areia e tinha a certeza íntima de que pulara mais de 18 metros.


A marca lhe daria a medalha de ouro nos Jogos de Moscou e também o novo recorde mundial.


Entretanto, de suas três tentativas válidas pelos critérios da arbitragem a de 17,22m foi suficiente, apenas para garantir a medalha de bronze. A farsa só foi desmontada em junho de 2000, quando o jornal australiano Sydney Morning Herald publicou uma reportagem esclarecendo a questão.


Os saltos anulados do brasileiro faziam parte de uma trama para dar o tetracampeonato olímpico ao soviético Viktor Saneyev e só não teve êxito total porque outro soviético, Jaak Udmae, saltou 17,35m e levou a medalha de ouro. Saneyev ficou com a prata.


João do Pulo chegou a chorar de decepção porque tinha certeza pessoal da vitória em Moscou.


O treinador estoniano Harry Seinberg chegou a confessar, em conversas com atletas e dirigentes, que as marcas de João do Pulo haviam sido alteradas para favorecer os atletas da casa. Mas, para decepção do brasileiro, que chegou a sonhar com uma reviravolta no caso, Seinberg não quis confirmar as declarações à Federação Internacional de Atletismo e ao Comitê Olímpico Internacional.


Ainda em 1980 um trágico acidente de carro interromperia a carreira de João do Pulo no auge da sua forma. Ele sofreu durante um ano no hospital e acabou perdendo sua perna direita que foi amputada.


João Carlos de Oliveira faleceu em 29 de maio de 1999, aos 45 anos de idade, em conseqüência de uma cirrose hepática e infecção generalizada.


Recordes pessoais:


Salto triplo: 17,89m em 14/10/1975, na Cidade do México, pelos Jogos Pan-Americanos. Recorde mundial até 16/06/1985, quando o americano Willie Banks saltou 18,29m, em Indianápolis, nos Estados Unidos.


Salto em distância: 8,36m, em 21/07/1979, no Meeting de Rieti (Itália). Recorde brasileiro e sul-americano até 1995, quando Douglas de Souza marcou 8,40m.


Principais conquistas:


Salto Triplo:
1975 - Ouro nos Jogos Pan-Americanos da Cidade do México, com 17,89m.
1976 - Bronze na Olimpíada de Montreal, com 16,90m.
1977 - Ouro na Copa do Mundo de Dusseldorf (Alemanha), com 16,68m.
1979 - Ouro nos Jogos Pan-Americanos de Porto Rico, com 17,27m.
1980 - Bronze na Olimpíada de Moscou, com 17,22m.
1981 - Ouro na Copa do Mundo de Roma, com 17,37m. A marca foi recorde do Estádio Olímpico de Roma até 1987.


Salto em distância:
1975 - Ouro nos Jogos Pan-Americanos do México, com 8,16m.
1979 - Ouro nos Jogos Pan-Americanos de Porto Rico, com 8,18m.




Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2019 - Desenvolvido pela Williarts Internet