Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

26/09/2010 - Ernesto Juliani responde para Remiro Cachoeira

Pelo "fale conosco" do site futebol barretos, Dr. Ernesto Juliani (foto), responde sobre a manifestação do comentarista esportivo Remiro Cachoeira, divulgada neste site, sobre a polêmica que envolve a denúncia dos Periquitos contra Os Camarões pela utilização do jogador Messias, no jogo ADPM x Os Camarões. Veja a íntegra:

Fale Conosco LBF - Liga Barretense de Futebol

Nome: Ernesto Juliani Filho
Endereço: Avenida 15, n. 1.260
Bairro: centro
Cidade: Barretos
Cep: 14780-280
Telefone/DDD:
E-mail: juliani@aasp.org.br
Mensagem Li atentamente a mensagem postada neste site pelo Senhor Remiro Cachoeira. Respeito muito sua opinião, porém, não vou concordar com ela. Primeiramente quero deixar consignado que tenho profunda admiração pelo Cachoeira, \"razoável\" beque da Portuguesa, nossa querida Tamancuda. Entretanto, no caso Camarões, o Cachoeira labora em equívoco. Na verdade \"pisou na bola\". Explico porque. Diz ele em sua mensagem que não tomou conhecimento do conteúdo do recurso interposto pela S.E.Os Periquitos. Primeiro pecado. Quem desconhece sobre o que está escrevendo com certeza vai escrever coisa irreal. Tenho certeza que se o Remiro tivesse lido o recurso interposto pelos Periquitos, inteligente como é, por certo não teria postado aquela mensagem. Segundo Pecado. Mesmo não tendo conhecimento do conteúdo do recurso se sentiu no direito de dizer que o Ernesto está errado quando requer que o Presidente da Liga decida a questão em razão do que contém o Artigo 50 do Regulamento do Campeonato. Mais uma vez se equivocou. O Artigo 50 é o caminho correto para qualquer equipe pleitear o reconhecimento de um direito ferido em razão do descumprimento do Regulamento do Campeonato Varzeano de 2010. Afinal, Regulamento foi feito para ser cumprido. Da simples leitura do Artigo 50 se percebe claramento o que estou escrevendo. Terceiro pecado. No recurso informamos ao Presidente da Liga todos os Artigos do Regulamento do Campeonato que foram feridos pela equipe de Os Camarões com a utilização irregular do atleta Messias no jogo contra a ADPM. Tivesse o Cachoeira lido esse Recurso por certo não escreveria a mensagem que escrever, repita-se. Quarto pecado. Cachoeira disse que Messias foi profissionalizado sem ter passado pela base. Ora, falar em trabalho de base em Barretos e no Barretos E.C. é uma grande utopia. Mas esse não é o caso. O Caso é que atleta profissional inscrito no ano de 2010 em qualquer Federação, tenha ele jogado ou não como profissional, está impedido de jogar no Campeonato Varzeano de Barretos. E Messias jogou. Portanto, jogou de forma irregular, segundo o Regulamento do Campeonato. Foi esse fato que motivou a denúncia de Os Periquitos. Repita-se, Regulamento foi feito para ser cumprido. Quinto pecado. O Cachoeira fala que gostaria de ver um advogado com notório saber a respeito de futebol analisar a questão Messias. Respondo a ele. Nada conseguiria como, aliás, não conseguiu o advogado com notório saber jurídico na esfera desportiva que defendeu o Barretos há dois anos e que não conseguiu reverter a degola do Barretos E.C. das finais da 2a. Divisão, pela atualização irregular de um atleta que deveria ter cumprido pena de suspensão em razão de estar com tres cartões amarelos. Espero, nesta oportunidade, ter colocado as coisas no seu devido lugar, prometendo não mais falar sobre esse assunto que está \"sub judice\".


Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2019 - Desenvolvido pela Williarts Internet