Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

30/07/2010 - Recorde de expulsões no futebol brasileiro e na Copa do Mundo

Portuguesa de Desportos e Botafogo-RJ jogavam pelo Torneio Rio-São Paulo de 1954, no Pacaembu. Mas a partida acabou aos 31 minutos do segundo tempo, quando estava 3 x 1 para a Lusa. Tudo porque os 32 jogadores acabaram expulsos de campo. A confusão começou com o zagueiro Thomé, do Botafogo, que tentava cobrar um tiro de meta enquanto o atacante Ortega, da Lusa, catimbava, tentando ganhar tempo. Os dois discutiram, trocaram socos e pontapés e acabaram envolvendo os outros jogadores. O juiz da partida, Carlos

de Oliveira Monteiro, ficou assistindo a briga, esperou a coisa acalmar e, no final da confusão, expulsou todo mundo: Lindolfo, Nena, Valter, Herminio, Clóvis, Ceci, Dido, Renato, Nelsinho, Edmur e Ortega, da Portuguesa; Pianowski, Thomé, Floriano, Ruarinho, Bob, Juvenal, Garrincha, Dino da Costa, Carlyle, Jaime e Vinícius, do Botafogo. Naquele dia, só escaparam Osvaldinho, da Lusa, e Araty, do Botafogo, que haviam sido substituídos por Nelsinho e Ruarinho.

Em Copas do Mundo, o recorde de expulsões em uma partida foi batido, nas oitavas-de-final da Copa da Alemanha, em 2006. O confronto entre Portugal e Holanda - vencido pelos portugueses, por 1 a 0 - teve quatro cartões vermelhos, além de 16 amarelos. Foram para o chuveiro mais cedo os portugueses Costinha e Deco e os holandeses Khalid Boulahrouz e Giovanni van Bronckhorst. Até então, o recorde em Copas era de "apenas" três expulsões, o que ocorreu em quatro jogos: Brasil 1 x 1 Checoslováquia, em 1938; Brasil 2 x 4 Hungria, em 1954 (partida imortalizada como "Batalha de Berna"); Dinamarca 1 x 1 África do Sul, em 1998; Itália 1 x 1 EUA, em 2006 (na primeira fase).


Busca de notícias      








Todos direitos reservados 2019 - Desenvolvido pela Williarts Internet