Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

09/12/2009 - Andrade já começa a pensar em 2010

Fazer parte de uma lista que tem nomes como Paulo Cesar Carpeggiani, Muricy Ramalho e Emerson Leão é motivo de orgulho para Andrade. São poucos que têm o privilégio de terem sido campeões brasileiros como jogadores e treinadores. Por isso, o Tromba não esconde a felicidade com o feito que alcançou no último domingo. Afinal, além disso, ele ainda é o maior vencedor da história do Brasileirão, com seis títulos (cinco em campo e um à beira dele).

Fazer história não é novidade para Andrade. Mas, mesmo assim, o primeiro técnico negro a levantar o troféu de campeão brasileiro, segue emocionado com a conquista do hexacampeonato. O comandante rubro-negro revela que, nem no melhor de seus sonhos, teria imaginado obter tanto sucesso em tão pouco tempo em sua carreira como treinador.

"É um privilégio para poucos estar nesta seleta lista de ex-jogadores, que também foram campeões como técnico. Isso é um motivo de orgulho e satisfação para mim. Esse sucesso é algo que jamais sonhei na minha carreira. Sonhava ser treinador, mas não pensava que fosse me sair tão bem tão rápido. Em seis meses de trabalho já ser campeão brasileiro e ser ovacionado pela torcida do Flamengo como fui como jogador... Foi um final de ano de sonho para mim", comemorou o treinador, em entrevista ao SporTv News, na noite desta terça-feira.

Apesar de ter feito história no Flamengo, o ex-volante não teve muitas oportunidades na Seleção Brasileira. E quem disse que ele liga? O ex-craque acredita que "quem joga pelo Flamengo, não pode ter mágoa de não jogar pela seleção, afinal, o Flamengo, de certa forma, já é uma seleção". Treinador do hexa, Andrade lembra com carinho dos tempos de jogador na Gávea. Na memória do Tromba, em especial, está o ano de 1987.

"Aquele grupo de 1980 era uma grande família. Temos carinho e respeito por todos, era uma geração vencedora e ainda nos encontramos hoje. Fico feliz em representar essa geração, que conquistou o mundo e mudou a história do Flamengo. Lembro muito de 87, que tinha remanescentes daquele time de 81, como eu, Leandro e Zico, e também gente nova surgindo, como o Leonardo", recordou.

Andrade ainda não sabe se fica no Flamengo, mas seu desejo, e a vontade também já manifestada pela presidente eleita do clube, Patrícia Amorim, é de que a resposta seja positiva. Por isso, o treinador já pensa em fazer o Urubu alçar vôos ainda mais altos em 2010.

"Dei minha resposta dentro de campo, trabalhando, mas não sou uma pessoa que se acomoda. Conquistamos o Brasileiro, ótimo, mas podemos brigar por mais. O próximo passo é o tetra carioca, além da Taça Libertadores, que vem logo em seguida. Já temos que começar a pensar nisso e almejar estas consquistas", finalizou.


Busca de notícias      








Todos direitos reservados 2020 - Desenvolvido pela Williarts Internet