Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

06/11/2009 - Matthias Sindelar, O homem de papel (1903 - 1939)

Sindelar foi um dos maiores craques do seu tempo. Atacante de técnica, rapidez, elegância e gols de rara beleza. Ele ganhou o apelido de homem de papel por sua aparência frágil e pela leveza de suas jogadas. Era o líder do "Wunderteam", a fantástica seleção austríaca da década de 30. Em função da sua genialidade em campo, Sindelar foi inúmeras vezes comparado com seu mais famoso conterrâneo: Mozart. Essa seleção chegou na copa de 34 como uma das favoritas, mas foi eliminada na semi-final pelos donos da casa, a Itália. Esse jogo teve uma arbitragem muito contestada, e sabe-se que as pressões de Mussolini para que sua seleção facista vencesse em casa eram enormes. Essa não seria a primeira vez que a equipe austríaca seria prejudicada pela ascensão no nazi-facismo...

Para entender melhor o que foi o "Wunderteam" (time maravilhoso) basta dizer que em 33 ele acumulava uma sequencia invicta de 12 vitórias e 2 empates com 60 gols marcados (27 por Sindelar). Esse time aplicou goleadas nas principais eleções européias: 5x0 sobre a Escócia, 4x0 sobre a França, 5x0 sobre a Alemanha, 8x1 sobre a Suiça, 8x2 sobre a Hungria e 6x1 sobre a Bélgica, para
citar algumas. E apesar da decepçao de 34, ainda havia a esperança de que em 38 se fizesse justiça e o Wunderteam fosse campeao. Mas esses planos foram desfeitos quando a Alemanha invadiu a Austria. Era o fim daquele time dos sonhos.

Por ser judeu, Sindelar foi muito perseguido após a invasão nazista e corajosamente se recusou a integrar a equipe alemã na copa de 38. Deprimido com os rumos de seu país e acuado pelo regime de Hitler, o craque austríaco se envenenou com monóxido de carbono (há versões que dizem ter sido um assassinato) e saiu da vida para tornar-se uma lenda.

Matthias Sindelar jogou no FK Austria Viena.


Busca de notícias      










Todos direitos reservados 2019 - Desenvolvido pela Williarts Internet