Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

20/03/2009 - Corinthians fecha patrocinio muito abaixo do prometido por Andres Sanches


"Fecharei o maior patrocínio da história do futebol brasileiro.

Não será por menos de R$ 30 milhões."

Andres Sanches (foto)– Dezembro de 2008





O Corinthians anunciou a Batavo como sua patrocinadora para o restante do ano.

O valor a ser divulgado, segundo informações, será de R$ 18 milhões.

Não condiz com a verdade.

A proposta da Batavo, para o futebol profissional, estava engavetada, em caso do clube não conseguir fechar pelo valor que desejava.

Era de R$ 14 milhões anuais.

O delirante Departamento de Marketing corinthiano sonhava com R$ 30 milhões.

Prejudicou o clube por três longos meses.

Período em que a comissão de Rosenberg era paga com a exposição gratuita da Medial Saúde nas camisetas de treino alvinegras.

No ultimo mês, já no desespero, e contando com a sorte de Ronaldo ter iniciado bem seu trabalho no clube, conseguiu uma proposta de R$ 18 milhões do Carrefour.

Era para ter fechado, mas a ganância impediu.

Bateram o pé em R$ 20 milhões.

Em uma estratégia que envolvia expor a marca de seus fornecedores, o Carrefour chegou aos R$ 20 milhões, pelo mesmo período do contrato fechado com a Batavo.

Que seriam anunciados ontem.

Mas Rosenberg tentou uma cartada final.

Disse que para o Carrefour colocar o nome de fornecedores na camisa o valor teria que ser de R$ 23 milhões.

Os diretores da empresa ficaram furiosos.

Perceberam que não estavam tratando com gente séria.

E desistiram do negócio.

Com as calças nas mãos, dirigentes corinthianos correram atrás da Batavo.

Que subiu o valor para R$ 16 milhões.

Cientes da vergonha que iriam passar ao anunciar um valor menor do que o da Medial Saúde, os dirigentes alvinegros ficaram ainda mais de joelhos.

Ofereceram uma "estranha" parceria com as categorias de base, para que o valor chegasse aos R$ 18 milhões.

Na verdade, em apenas uma tarde, o clube jogou R$ 2 milhões no lixo, por ganância.

No acordo com o Carrefour, que não envolvia as categorias de base.

Fora os R$ 4 milhões que não foram cobrados da Medial Saúde pela propaganda gratuita de três meses.

Ou seja, o clube receberá durante 2009 o valor de R$ 18 milhões, sendo R$ 16 milhões para o futebol profissional, abaixo dos R$ 16,5 recebidos da Medial apenas pela equipe principal.

Mas deixou de arrecadar R$ 6 milhões, em três meses, provenientes de cortesias e atos de incompetência.

Por esse motivo, torcedor corinthiano, não caia em cortinas de fumaça.

O aparente bom negócio, que será apresentado como o maior patrocínio do Brasil, é na verdade o resultado de uma negociação desesperada e mal conduzida.

Um verdadeiro show de incompetência.


Busca de notícias      








Todos direitos reservados 2020 - Desenvolvido pela Williarts Internet