Ouça a Independente AM ao vivo!
 
 

 

09/02/2009 - No primeiro clássico do Paulistão Verdão massacrou o Peixe e retomou liderança

Deu pena do Santos ao longo do primeiro tempo do clássico realizado neste domingo, no Palestra Itália, pelo Campeonato Paulista. O Palmeiras deitou e rolou em campo, fez dois gols, perdeu inúmeras chances de ampliar o placar, colocou uma correria para cima do rival e provocou vários erros do sistema defensivo santista. Na etapa final, o Peixe, após sofrer o terceiro gol no início da etapa final, cresceu em campo e descontou, mas o Verdão fez mais um no final e goleou por 4 a 1.

Keirrison, duas vezes (no segundo o artilheiro estava centímetros em impedimento), Edmílson, de puxeta, e Lenny marcaram para o Palmeiras. Kléber Pereira, sempre ele, descontou para o Santos.


Com o resultado, o Palmeiras recuperou a liderança isolada do Paulistão, com 15 pontos, 100% de aproveitamento em cinco rodadas. Se contar a fase preliminar da Taça Libertadores, o Verdão venceu as sete partidas disputadas em 2009.

Já o Santos continua com dez pontos e saiu do G-4. O trabalho do técnico Márcio Fernandes, que levou um vareio de bola no primeiro tempo, voltou a ser questionado por parte da torcida.
Na próxima rodada do Campeonato Paulista, o Palmeiras enfrenta o Mirassol, fora de casa, quarta-feira, às 22h. Já o Santos encara o Marília, quinta-feira, às 21h30m, em Marília.


Massacre alviverde
O clássico começou debaixo de um temporal, com o gramado do Palestra Itália pesado e encharcado. Luxemburgo escalou o time da casa com três zagueiros, com Jeci no lugar de Maurício Ramos, suspenso. Márcio Fernandes preferiu barrar o atacante Roni e mandou a campo Robinho, autor dos dois gols da vitória diante do São Caetano, na última quinta-feira.

Logo aos três minutos, o Palmeiras perdeu um gol incrível. Cleiton Xavier lançou Willians nas costas dos zagueiros. O meia invadiu a área e, livre diante de goleiro Fábio Costa, mandou a bola para fora. Assustado com a velocidade e marcação sob pressão do adversário, o Santos ficou plantado na defesa, explorando apenas os contragolpes.

Melhor em campo, o Alviverde perdeu outro gol inacreditável aos 11 minutos. Keirrison lançou Cleiton Xavier, novamente nas costas da zaga santista. O camisa 10, na saída de Fábio Costa, deu um toque sutil na bola, que caprichosamente foi mais uma vez para fora.

De tanto pressionar, o Palmeiras tirou proveito da fragilidade defensiva do Santos e de uma falha de Fábio Costa para fazer 1 a 0. Aos 15 minutos, Diego Souza cobrou escanteio, o goleiro santista saiu atabalhoado do gol e não fez o corte. Edmílson, de puxeta, balançou a rede.

Aos 20 minutos, o zagueiro Adaílton falhou de forma bisonha, Keirrison arrancou com a bola e sofreu pênalti de Fábio Costa, que ainda recebeu o cartão amarelo. Keirrison cobrou com categoria, goleiro de um lado, bola do outro, e fez 2 a 0 aos 22 minutos.

Para piorar a situação do Peixe, Roberto Brum deixou o gramado machucado, substituído por Germano. E o massacre do Palmeiras prosseguiu. O rolo compressor alviverde encurralou o Santos na defesa e foi perdendo um caminhão de gols. Cleiton Xavier, de cabeça, exigiu boa defesa de Fábio Costa, aos 24. Dois minutos mais tarde, Keirrison, na cara do goleiro santista, quase ampliou.

O primeiro chute do Santos ao gol adversário aconteceu somente aos 33 minutos, com Germano. E a jogada nem foi perigosa. O Peixe, que escapou de sofre uma goleada vexatória no primeiro tempo, melhorou nos minutos finais. Aos 43, Lucio Flavio exigiu boa defesa de Bruno. E aos 46, Kléber Pereira chutou sem ângulo, e Jeci evitou o gol de cabeça.
Depois de ser massacrado no primeiro tempo, o Santos voltou para a etapa final com o atacante Roni na vaga do meia Lucio Flávio. Mas, aos 42 segundos, sofreu novo golpe. Willians arrancou em velocidade, fez um carnaval na zaga santista, e encheu o pé. Fábio Costa rebateu, e Keirrison, oportunista e centímetros em impedimento, fez 3 a 0.


Com Roni lutando no meio dos zagueiros do Palmeiras, o Peixe quase descontou aos cinco minutos. Bruno evitou o gol. Em seguida, foi a vez de Madson exigir boa defesa do goleiro alviverde. Aos 15, após cobrança de escanteio, Rodrigo Souto cabeceou, e Pierre impediu o gol quase em cima da linha.

O Santos cresceu de produção, e o Palmeiras se encolheu para explorar apenas os contra-ataques. E o Peixe, merecidamente após crescer de produção, descontou. Aos 17, Kléber Pereira, de cabeça, exigiu grande defesa de Bruno. Porém, no minuto seguinte, após cruzamento de Madson, o artilheiro santista balançou a rede de cabeça.

Percebendo a pressão santista, Luxemburgo sacou Willians e Diego Souza e colocou em campo Lenny e Jumar. O Palmeiras equilibrou a partida, mas o Santos perdeu uma grande oportunidade aos 26, quando Roni mandou a bola para fora.

A melhor chance de chegar ao quarto gol do Verdão aconteceu aos 36 minutos. Armero invadiu a área driblando e, na cara do goleiro Fábio Costa, mandou a bola por cima do travessão. Aos 37, Keirrison deixou o gramado aplaudido, e Marquinhos fez a sua estreia com a camisa alviverde.

Aos 39, após suportar a pressão santista, o Palmeiras recuperou o domínio da partida. E Lenny fez um belo gola, após driblar o goleiro Fábio Costa e completar com estilo para o fundo da rede.



Ficha técnica:


PALMEIRAS 4 x 1 SANTOS
Palmeiras: Bruno; Jeci, Edmílson e Danilo; Fabinho Capixaba, Pierre, Diego Souza (Jumar), Cleiton Xavier e Armero; Willians (Lenny) e Keirrison (Marquinhos).
Técnico: V. Luxemburgo.

Santos: Fábio Costa, Adriano, Adaílton, Fabiano Eller e Leo; Roberto Brum (Germano), Rodrigo Souto, Lucio Flavio (Roni) e Madson; Robson (Bolaños) e Kléber Pereira.
Técnico: M. Fernandes.

Gols: Edmílson, aos 15; e Keirrison, cobrando pênalti, aos 22 minutos do primeiro tempo. Keirrison, aos 42 segundos; e Kléber Pereira, aos 18; e Lenny, aos 39 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Diego Souza, Edmílson e Jeci (Palmeiras) e Fábio Costa e Germano (Santos).

Estádio: Palestra Itália (SP). Data: 08/02/2009. Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira. Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Newton dos Reis Barreira.


Busca de notícias      








Todos direitos reservados 2020 - Desenvolvido pela Williarts Internet